Paulo Henrique (PH) – montanhista desde 1982 e escalador desde 1986. Guia e Instrutor certificado pela Associação de Guias, Instrutores e Profissionais de Escalada do Estado do Rio de Janeiro – Aguiperj

Conquista da Serra do Camelo – Vila Baraúna – Caracaraí – RR

E estávamos no cume de uma montanha em Roraima que nunca tinha sido frequentada por um ser humano…09/12/2016!!!
Embora a conquista não tenha apresentado grandes dificuldades técnicas, chegar no alto dessa serra me custou três idas à Vila Baraúna em Caracaraí – RR distante cerca de 560km de Manaus.
Em 2014 eu já tinha realizado uma viagem exploratória à região para ver o potencial das escaladas. Em Abril desse ano (2016) eu havia tentado com outro grupo de escaladores acessar a base do Camelo, mas não foi possível…naquela época conseguimos abrir a primeira via tradicional nas serras que circundam a Vila Baraúna (via Feldspato Assassino 3 V E2 140m)…agora a via Canaleta de Fogo (4 VI E2/E3 250m) foi a segunda da região e a primeira do Camelo!
Eu, Italo, Leandro e Fred fizemos um reconhecimento no dia 08 de dezembro para possibilitar um acesso objetivo à montanha. Através de dicas preciosas do Seu Adão conseguimos de “primeira” fazer um acesso direto a partir da Vicinal 27.
O Seu Adão é o principal ponto de apoio para quem vai escalar naquela região, pois além de conhecer bem as serras, ele possui uma área em que é possível acampar. Ele também tem uma mercearia e a sua esposa prepara um jantar e café da manhã nota 10! Luxo total!!

Camelo visto da Vicinal 27

Camelo visto da Vicinal 27

A Serra do Camelo fica localizada na comunidade de Vila Maraúna, Município de Caracaraí, estado de Roraima. A vila (dista cerca de 560 km de Manaus e 179 km de Boa Vista) possui pouca infra estrutura, com alguns comércios (onde se pode comprar alimentos a preços honestos) e existe apenas um telefone publico (não funciona celular na localidade). A BR 432 que corta a vila não possui asfalto, porém se encontra em boas condições, podendo trafegar tranquilamente a 90 km/h.

Para chegar à Vila Baraúna:

Melhor com veículo próprio (é possível ir de ônibus, pois existe linha que passa na Vila a partir de Rorainópolis e de Boa Vista)

Partindo de manaus

Tomar a rodovia BR 174, seguir ate o Km 500 (onde há a famosa rotatoria do 500) e seguir reto tomando a saída que segue para a BR 432 (a estrada de barro), seguir por mais 50 km nessa estrada e você chegará Vila Baraúna. Da Vila já se avista a Serra do Camelo bem próxima.

Obs. No km 500 se seguir para a direita, vc irá seguir para os municipios de São João da Baliza, Sao Luiz do Anauá e Caroebe onde pode ser encontrada uma boa quantidade de rocha e também alguns morros. Nesses municípios já foram abertas vias de escalada, bem como aberto diversos lances de boulders. Se seguir à esquerda irá continuar pela BR 174 até chegar em Boa Vista. Mucajaí fica um pouco antes de Boa Vista e ao lado da BR 174. Nessa cidade há vias de escalada que já foram conquistadas também.

Partindo de Boa Vista (trajeto nao feito pelos escaladores)

Tomar a BR 432(estrada de barro) e seguir por cerca de 179 km até chegar a Vila Baraúna.

Acomodações.

Como não há hotel na vila, encontramos um ponto de apoio na casa do seu Adão (que funciona como mercearia também). La pudemos armar nossas barracas e negociar as refeições feitas pela esposa deste (comida excelente por sinal) e tomar algumas cervejas. Tudo por um preço muito honesto. A casa do seu Adão se localiza na vicinal 27 a 08 km da Vila Baraúna.(A Vicinal 27 também é a vicinal de acesso a trilha da base da Face Leste da Serra do Camelo). É muito recomendável se acomodar ali, pois seu Adão e sua família são pessoas muito boas e profundos conhecedores da região.

 Adão, Arthur (seu filho) e os conquistadores

Adão, Arthur (seu filho) e os conquistadores

A trilha.
Partindo da casa do seu Adão, deve-se andar 4 km sentido a Serra do Camelo, passando por 3 pontes. Primeiramente você irá ver a serra em sua face oeste, visualizando a aresta lateralmente. Assim que for percorrendo a estrada e ver a aresta de frente, você começará a ver também o outro lado da serra – Face Leste. Comece a olhar atentamente e verá uma casa de madeira, recém construída, com um cajueiro na frente. A trilha inicia por trás dessa casa. A principio encontrará muita vegetação na linha da cintura por cerca de 50 m ate entrar na zona de árvores. A partir daí a trilha segue por uma picada (marcada com fitas) para esquerda ate passar por um leito de igarapé seco. Atravesse-o e andando por cerca de 150 m em algo parecido com um bosque( avistando a parede) encontrará um tronco caído. Desse ponto você estará vendo quase o tempo todo a Face Leste do Camelo – Siga pendendo um pouco para a esquerda por cerca de 100 metros ate encontrar uma zona ALAGADA (charco). Siga por uns 80 m ate encontrar uma área de capim navalha, caminhe pelo capim navalha por cerca de 50 m e a partir daí o ambiente volta a melhorar. Após 150 metros vera outro tronco caído(este muito maior) siga pela esquerda deste ate encontrar um igarapé com água. Atravesse-o e ande mais 50 metros e encontrará outro igarapé. A partir daí já é possível ver grandes blocos caídos!! Andando pelos blocos, à esquerda, consegue-se ver a rampa de acesso a parede da escalada. É uma escalaminhada de cerca de 150m até a base da via!
A trilha, se aberta, leva cerca de 45 min para ser feita, sendo recomendado levar um facão para abrir trechos que porventura estejam com muita vegetação.

Coordenadas de interesse

Casa do seu Adão
N 01.69091°
W 060.36802°

Entrada da trilha
N 01.70430°
W 060.33306°

Parede da via
N 01.70887°
W 060.34061°

Sobre a conquista da via eu considerei uma escalada rápida, pois conseguimos proteger em móvel em boa parte.
A base pode ser considerada nota 10! Tem espaço, é plana e dá uma visão boa do início da escalada.
A via começa com lances de agarras e uns 6 m acima vem a primeira proteção em móvel em uma fenda horizontal. Depois segue-se uma diagonal para a direita até encontrar o diedro.
O filé da via sem dúvida é o primeiro esticão, pois esse diedrinho tem uns 15m e possibilita proteger bem com peças pequenas equivalentes ao Cam do .1 ao .5.
Após o diedro segue-se à esquerda em direção aos lances crux da via. Uma canaleta lisa, mas que possui uma fenda larga – Off Width de primeira. Os lances guiando devem ser um VI grau. No primeiro Off Width dá para proteger em uma àrvore que está na fenda. O segundo lance eu protegi com o Cam.75, mas dá para colocar do .5 ao 1. Essa proteção ocorre em um pequeno bloco de pedra que se destaca na fenda antes de chegar na primeira parada que é em uma árvore em um pequeno plato (P1)

Diedro

Diedro

img_1944

De P1 a via segue pela canaleta para cima e há mais um lance de Off Width protegido por Cam 1 (dá para proteger com peças maiores também tipo Cam 3.
Após esse terceiro lance de Off a via diminui a inclinação, passa pela parada dupla de rapel (que é feito por fora da canaleta) e por um pequeno trecho de escalaminhada até um pequeno plato à direita de uma árvore seca. Nesse local é P2.

Leandro no terceiro-off-width

Leandro no terceiro-off-width

O terceiro esticão é em parede positiva e com pequenas agarras – há a opção na metade desse esticão em progredir no estilo chaminé. São cerca de 50m com graduação de II e um lance de III mais no final até chegar no grande plato com vegetação (P3).

De P3 para P4 basta caminhar contornando pela direita uma área com bastante vegetação até chegar no início de uma chaminé que é onde continua a via. Na saída da chaminé e à esquerda vc encontrará a segunda proteção fixa da via que protege uma pequena barriguinha antes de acessar a parada dupla do primeiro rapel, a rampa e a aresta do Camelo.

Início da chaminé

Início da chaminé

A parti da parada dupla do primeiro rapel, que é a última proteção fixa da via, serão cerca de 100m de escalaminhada até o cume indo na direção da aresta do Camelo. Há um trecho final com uma fendinha e que deve ser um II, mas bem tranquilo!

Escalaminhada ao cume

Escalaminhada ao cume

escalaminhada-aresta

escalaminhada-aresta

Aresta final antes do cume

Aresta final antes do cume

A visão de cima do cume é bem ampla e de lá dá para perceber que há muitas serras nas redondezas!

Fred assinando o livro de cume

Fred assinando o livro de cume

cume do Camelo com visão da Vicinal 27

cume do Camelo com visão da Vicinal 27

Para a descida deve-se desescalar a escalaminhada até a parada dupla do primeiro rapel. Embora seja uma descida fácil requer cuidados pois há muita pedra solta. O primeiro e o terceiro rapeis são por fora da via.
No primeiro rapel você acessará P3, mas o último escalador a descer pode realizar uma parada intermediária em uma árvore que se localiza cerca de 10m antes de P3. Isso facilitará a puxada das cordas.
O segundo rapel é em árvore no plato da P3.
A escalada só é possível com duas cordas de 50m, pois só há 4 proteções fixas na via toda, sendo que duas destas são paradas duplas para rapel.

O croqui da via pode ser acessado abaixo!!!

croqui

Segue-se um vídeo feito pelo Fred e que está no youtube:

O livro de cume está esperando repetições!!!

Livro do cume

Livro do cume

Anúncios

Uma resposta

  1. Greicy Ferreira

    Olá! Sou a Greicy, gostaria de saber mais informações sobre escalada aqui em Manaus.greicymarilia@gmail.com

    23 de abril de 2017 às 23:42

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s